Mágico 10 ❤



«Deco anuncia final da carreira

Um comunicado explica as razões para o ponto final na carreira aos 36 anos.
"É com muita tristeza e pesar que comunico o fim da minha carreira como atleta profissional. Os últimos minutos na quarta-feira pelo Fluminense foram os últimos dos 17 anos dentro de campo como jogador de futebol. Gostaria muito de continuar até ao final deste Brasileirão e ajudar a colocar a equipa novamente na Libertadores. Gostaria muito de ter ajudado muito mais o Fluminense, mas o meu corpo não me permitiu. Deixo claro que me dediquei, esforcei e muitos me apoiaram para que eu seguisse até ao final do ano. Fisicamente poderia jogar, mas os meus músculos não suportam mais. Obrigado a todos pela confiança e carinho", lê-se» aqui





É com tristeza e lágrimas nos olhos que recebemos algumas notícias. Esta é uma delas.

Desde pequenina que o meu coração sempre bateu por estas duas cores. A convicção de ser portista e o amor que cresceu comigo não deixa margem para dúvidas de que este orgulho que me corre no sangue é mais do que aquilo que algum dia poderei e saberei definir. 

Muito daquilo que sou enquanto adepta deve-se a jogadores como tu, que sempre entraram em campo com o coração nas mãos e o emblema no lado esquerdo do peito. Muito daquilo que eu sou enquanto portista o devo a ti, que também foste responsável por este amor crescer. E lembro-me de ver os jogos e ver-te a ti, de sorriso no rosto e garra no teu correr. A luta, a entrega, a dedicação sempre foram uma constante. E no dia em que saíste da nossa casa, para abraçar um novo futuro, um bocadinho do meu coração foi contigo. Como acontece com todos aqueles que deixaram tanto dentro daquele estádio, no relvado, na história daquele que será sempre o nosso clube e nos nossos corações. 

Quando um dia tiver filhos, não sei se vão gostar tanto de futebol como eu, nem sei se vão sentir este clube tanto quanto eu o sinto, mas acredita que vão ouvir falar de ti. Muito. É que há sempre tempo e lugar para falar de Guerreiros como tu.

Nunca me esquecerei daquela dia de glória em que marcaste um dos três golos que nos deram a vitória na Liga dos Campeões. Nem me esquecerei de toda a magia que deixavas em campo. Era impressionante a tua capacidade de superação, a raça com que disputavas cada jogada, a beleza de cada pormenor. És um jogador fora de série. Digo és e não eras, primeiro porque ainda é difícil aceitar que chegou ao fim, mas principalmente porque um jogador como tu nunca se esquece. Nem se encontra com facilidade. 

Ficam as memórias de tempos felizes e de coração cheio. As minhas memórias de menina a vibrar quando vos via entrar em campo e te via sempre igual a ti próprio, a lutar por essas duas cores, pela tua equipa e por nós que, sentados naquelas bancadas ou em frente ao televisor, gritávamos a uma só voz. Agora ficam as memórias de um mágico com um coração do tamanho mundo, uma elegância sem igual e um verdadeiro senhor.

É fácil perceber a admiração e a tristeza que hoje partilho com milhares. E é fácil perceber as saudades que me invadem agora que te escrevo. Há poucos como tu, dotados de um talento impressionante. E a humildade que te acompanhou durante todo o teu percurso só te tornou ainda mais especial. 

Só me resta um obrigado infinito, porque o resto confidenciei-te em segredo no decorrer de cada jogo, em todas as lágrimas de felicidade e nas de tristeza também, nos gritos de fúria e de vitória, nos festejos, nos sorrisos, nos aplausos. E a ti aplaudo-te de pé, como se faz com os grandes.

Inevitavelmente, isto teria que acontecer. Um dia. Não agora. Não agora pois ainda é muito cedo. Seria sempre cedo porque és tu que despes a camisola e pousas as chuteiras na prateleira. E és tu que vamos deixar de ver dentro de campo. É isso mesmo, és tu e por isso é que custa tanto. Como custou quando o Vitor Baía (outro gigante) anunciou o mesmo futuro.

Quando ainda era uma menina, que pouco sabia de futebol além dos vossos nomes, das nossas cores e do amor que sempre carreguei no peito, habituei-me a guardar imenso recortes vossos. Daqueles tempos, de tempos nossos e de tempos posteriores à tua saída. E hoje quando folheio aquelas capas cheia de imagens de jornais e revistas, sinto a nossa história, o nosso percurso e os nossos feitos a desenrolarem-se diante dos meus olhos, como se os vivesse novamente. E digo nossos porque foram vocês a conquistá-los, mas à minha maneira, longe ou perto, festejei-os convosco. Agora cresci, já não guardo os recortes que fazia aos jornais, mas não me consigo desfazer deles. É impensável. São eles que me mantêm perto daqueles dias e de pessoas admiráveis como tu. E junto a eles guardo uma camisola tua, que comprei não me recordo onde, mas que me encherá sempre de orgulho. Quando o coração apertar de saudades, voltarei a olhar aqueles recortes de papel e a tua camisola, e sentirei novamente que foste dos melhores que passaram por este clube, que o estimou com um amor igual ao meu e ao qual um dia chamaste casa e disseste que era o teu clube do coração.

Até um dia, mágico dez. Ficam as memórias e as saudades redobradas de te ver novamente com as nossas cores, em nossa casa. E ficas tu. Sempre tu. Porque nunca serei capaz de me esquecer de ti. 






«É o número dez,
Fita com o dois pés.
É melhor que o Pelé,
É o Deco allez, allez»    

Comentários

  1. Nesse aspeto tens razão, não é qualquer um que consegue cantar fado e interpretá-lo com garra e sentimento. Podiam, sei lá, fazer uma espécie de "À procura de talentos no fado" qualquer coisa assim... sempre poderíamos alargar mais o grupo de pessoas fadistas em Portugal.

    Pois... é verdade! Parece que ainda foi no outro dia que o Deco começou carreira e já está a findar... é muito estranho... como o tempo é veloz! Vê-se que gostas muito do Futebol Clube do Porto, muita devoção nele :)

    ResponderEliminar
  2. Es verdad!!
    Pois, vê-se que admiras muito o Porto. Olha, eu sou do Porto (cidade) mas benfiquista xD fui criada no meio de família de benfiquistas e agora tenho um carinho especial pelo Benfica, não sou ferrenha, nada disso, mas irrito-me quando vejo as muitas injustiças que cometem com ele e todos nós sabemos que é verdade! :D

    ResponderEliminar

Enviar um comentário