Dança com as estrelas



«Dança com as estrelas» é um programa de emoções. Das fortes, como eu gosto. É também um programa de superação. Tanto da qualidade coreográfica como da qualidade que os concorrentes apresentam semana após semana.
  
É um enorme orgulho, para mim que sempre acompanhei, ver o Cifrão e o Paulo Vintém a fazerem o que fazem. São extraordinariamente brilhantes. Além disso, comovem, prendem ao ecrã e deixam-nos com vontade de levantar da cadeira e aprender a dançar. Não desfazendo nenhum dos concorrentes, e muito menos os dançarinos que são do melhor que temos, estes dois, para mim, serão os primeiros por tudo aquilo que me habituei a ver. São dois artistas. E um verdadeiro artista, para além da técnica, tem o coração e as emoções à flor da pele. E isso é muito bonito de ser ver.

Além disso, é fantástico ver o crescimento do Pedro Teixeira (por quem também sempre tive uma enorme admiração), que todas as semanas aumenta a fasquia. E claro que a genialidade da Raquel Tavares e a forma como a Sara Matos tem evoluído ajudam à festa. A juntar a eles, todos os outros concorrentes, que pelo formato do programa foram saindo gala após gala, deixaram a sua marca. Mostraram-nos que há talento em todo o lado e que através de esforço e dedicação se consegue chegar onde nunca se pensou.

Alguns começaram por dizer que eram uns verdadeiros pés de chumbo. Outros que tinham mesmo dois pés esquerdos. Eu, que vejo desde o primeiro programa, nunca vi nada que comprove essa teoria. Vi sim pessoas que, mesmo estando fora da sua zona de conforto, tiveram prestações brilhantes, de nos deixarem sem fôlego e de lágrimas nos olhos. Todas as semanas o grau de exigência e de dificuldade aumentava e mesmo assim vi-os todos a superaram-se. 

Sobretudo, o «Dança com as estrelas» mostra-nos aquilo que temos de melhor. A dança. Os dançarinos. E a dança será sempre uma arte, uma forma de comunicar. Mas com o corpo. E agora que se começa a chegar ao fim já se sente a nostalgia da primeira gala. Os dançarinos profissionais que não são só brilhantes em talento, mas na capacidade de ensinar, conseguiram fazer milagres e coreografias excecionais.   

O coração enche-se de orgulho, de felicidade, de tudo, por ver, em particular, o Cifrão e o Vintém. E também por se fazerem apostas como estas, que nos deixam de boca aberta pelo talento que existe em Portugal.


Deixo-vos com um pequeno exemplo do que se passou na última gala: 



Quem não acompanha, aconselho a perder nem que sejam cinco minutos do seu tempo. Talvez acabem a ver o programa todo. Talvez concordem comigo quando digo que não é tempo perdido. E talvez sintam que é uma pena estar a chegar ao fim.

Esta semana é a semi-final e com ela vem o desejo de voltar ao início ou então o desejo de uma segunda temporada. Mas enquanto não acaba, vou só ali ligar a televisão e perder-me na dança que nos envolve por ver dançar os outros. E se me permitem, porque o corpo não sossega, vou levantar-me do sofá e dançar, dançar, dançar...



«Vai ter uma festa 
que eu vou dançar 
até o sapato pedir pra parar.
Aí eu paro,
tiro o sapato
e danço o resto da vida» (Chacal)

Comentários

  1. Talvez tenha mesmo perdido o jeito. Pelo menos, é isso que sinto.
    Eu levo imenso tempo a confiar em alguém e, mesmo assim, às vezes não adianta. Verdadeiros, mas mesmo verdadeiros amigos, tenho dois. Só dois. Esses sei que vão estar SEMPRE comigo, não importa a situação pela qual esteja a passar. E ao todo tenho 3 amigos. Para mim é o suficiente. Sou muito fria, talvez para me proteger de mais desilusões e a maioria das pessoas não consegue lidar com isso.
    E preciso de agradecer porque ao fim de tanto tempo sem estar tão ativa, tu lês o que escrevo e isso significa imenso para mim. Tive bons tempos quando comecei o blog, tempos que nunca mais voltarão e só os meus leitores conseguem fazer-me sentir melhor. Embora esses momentos tenham acabado, vocês ainda cá estão.

    ResponderEliminar
  2. óh tenho de agradecer sim (:
    Muito bom post *

    Já agora ..
    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=642749735757987&set=a.641759722523655.1073741866.560531303979831&type=1&relevant_count=1
    Podes-me ajudar metendo o teu like, para ganhar uma sessão fotográfica? Obrigada :))

    ResponderEliminar
  3. Hoje em dia, as pessoas preocupam-se mais com a quantidade de amigos que têm e com o quão popular podem vir a ser. Eu não concordo com isso, mas como digo muitas vezes, a vida é deles e eu não devo dizer nada. Há aqueles que são amigos e os que estão na fotografia só porque sim. Fica bem, pelos vistos.
    Eu acho o mesmo... poucos, mas bons. E sabemos que podemos sempre confiar neles, nem que seja a nossa própria vida. Mas muita gente não percebe isso.
    E estou mesmo contente por isso. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Correu lindamente, não podia ter corrido melhor mesmo! obrigada pela força linda! (não há a opção dos comentários no teu outro blog 'M.' :s)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário