O dia seguinte em forma de rescaldo

By Andreia Morais - dezembro 26, 2013


Estávamos no ano dois mil e o Pai-Natal lá de casa era uma menina de oito anos. Em dois mil e treze, a menina de vinte e um já não veste o fato vermelho e branco, mas o sino que traz na mão ainda hoje enfeita a árvore. É que há coisas que, por mais que o tempo passe a correr, não se alteram. As tradições, a vontade de estar em família, as gargalhadas, as recordações, a curiosidade em saber o que vinha dentro de cada embrulho permanecem. E o Natal é independente da idade. Só é dependente da família, que permanece unida todos os dias, mesmo que já comecem a faltar algumas pessoas à mesa. É aí que entra o papel das estrelas, porque há sempre uma ou outra que brilha com mais força para nos proteger e nos mostrar que estamos juntos, mesmo que em planos de vida diferentes. 

Já passaram treze anos desde que tirei esta fotografia, mas lembro-me tão bem da magia destes dias. É a mesma que me acompanha ao longo dos anos. É que treze anos depois continuo a mesma criança, agora adulta, feliz e de coração cheio.

O meu Natal sempre foi assim: Feliz. Mágico. Na melhor companhia. E ainda que ache que as crianças da família o vivem da forma mais genuína que pode existir, o Natal é de todos. É meu! Porque alimento esta fantasia. Porque faço questão de manter o mesmo espírito. E é de todos! Porque tudo isto só é possível quando a partilha é feita na mesma proporção. 

O meu coração está quente. De amor. E quero que todos sinto o quanto é possível ser assim todo o ano. Sem filtros. Sem hipocrisia. Sem nos esquecermos do que realmente é importante. Chego à conclusão que adoro o Natal precisamente por viver os valores que lhe estão inerentes o ano todo. E isso devo-os aos meus. Aos que me acompanham desde mil novecentos e noventa e dois. Aos mesmo que estiveram do meu lado em dois mil. E que permanecem em dois mil e treze.

O sino já toca. É hora de regressar para junto da família e viver o dia de Natal. Com o mesmo olhar brilhante e o mesmo entusiasmo que reconheço nesta fotografia. Feliz Natal!


O pior de se esperar ansiosamente por uma data é que, depois, passa a correr. Mas o bom de tudo é que a memória permanece, independente do tempo e da idade. O Natal já passou, mas levo comigo no coração todas as gargalhadas, todas as conversas, os beijinhos, os abraços, a troca de prendas, o bacalhau (que só como cozido nesta alturas), os doces, as fotografias, o aconchego da lareira, o aconchego da família. Levo tudo, porque só sei viver assim: guardando com todo o carinho as coisas que vivi com os meus. 

Agora, em fotografias, mostro-vos alguns dos pormenores de Natal: o look escolhido (que está na fotografia anterior), a mesa de Natal, as decorações e os presentes. 

A mesa cá de casa:




A mesa e os detalhes de Natal em casa dos tios:





Os presentes:




A Véspera de Natal é sempre uma correria, mas o dia é muito mais tranquilo. Ontem à tarde aproveitei para pôr a leitura em dia e o livro do Daniel Oliveira que recebi à meia noite de dia vinte e quatro foi o escolhido para tal momento. Quatro horas depois estava lido. Ou devorado, como preferirem. A história envolve e é impossível parar. E eu não parei, li de coração aberto, emocionei-me, apeteceu-me chorar em algumas partes, enquanto noutras me apetecia saltar para dentro do livro e dar um abraço apertado à Camila. Aconselho a ler, sem dúvida. 

Só tenho momentos bons a guardar deste Natal, porque só isso importa. Ver a árvore decorada de fotografias antigas, onde me pude recordar de alguns momentos foi, sem dúvida, das melhores surpresas que pude receber. Ainda que não fosse exclusivamente para mim, era para todos, são estas pequenas situações que fazem a diferença. E é com elas que sou feliz. Ainda à mesa disse: adoro abrir presentes, saber o que está escondido atrás do embrulho, imaginar o porquê de aquela pessoa me ter oferecido o que ofereceu. Não preciso de nada extravagante, pode ser apenas um postal, o significado não está no bem material, mas na intenção da pessoa. E é a isso que dou valor. 

Agora contem-me tudo: como é que foi o vosso Natal? O Pai Natal foi generoso? Aproveitaram muito? Comeram muitos doces? Não se inibam. Para mim, o Natal ainda não acabou. É que a melhor amiga está cá, por isso vou aproveitar a tarde para matar saudades e entregar a minha última prenda.


«A vida é tudo o que existe, defendia, mesmo o que só persiste na memória. As lembranças não deixam de o ser pelo jugo do tempo. Logo, a realidade é sempre muitas mais».
("A persistência da memória", Daniel Oliveira)

  • Share:

You Might Also Like

15 comentários

  1. Eu vivo o Natal tal como tu. Não tenho a sorte de ter uma família tão unida, mas isso não me impede de perpetuar tradições que me são tão queridas. Adorei este meu Natal, apesar de estar doente, pelo simples facto de termos estado horas e horas na brincadeira, a cantar karaoke, a conversar. E que estes momentos se repitam não só no Natal, mas todo o ano!!
    Tiveste umas prendas óptimas :) Estou super curiosa com o livro do Daniel Oliveira!

    ResponderEliminar
  2. Vejo que tiveste um optimo natal. So tenho pena que passe tao depressa. Tenho mesmo de ler esse livro. So vejo boas criticas. ;)
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Natal é magia, é mesmo. Que coisas lindas!

    ResponderEliminar
  4. r: é difícil, tenho a minha cabeça a mil

    ResponderEliminar
  5. Sim e, espero o mesmo em relação ao teu Natal.
    É, acho que é.

    ResponderEliminar
  6. Olá Andreia! Há que tempo não falamos! Como estás?
    Oh pá, nunca é demais falar no Natal. É, sem dúvida, a minha época preferida do ano. Somos sempre umas verdadeiras crianças quando este tempo se aproxima. É lindo demais... pois tudo o que existe à nossa volta nos parece mais belo. Adorei ler o teu post, pois revi-me completamente nele. Ainda que a minha familia não seja assim tão unida, o que é pena, fico sempre deslumbrada com o Natal e o que ele nos traz todos os anos.
    Um beijinho muito grande :)

    ResponderEliminar
  7. Que bomm Natal que tives-te :)
    Adorei as prendas, ahah *-*

    r: o bolo estava mesmo bom *.* ahah e obrigada querida :)

    ResponderEliminar
  8. r: é verdade queridaa :) é mesmo bom ter pessoas desta para poder falar assim! ♥
    Obrigadaa :DD qual das camisolas querida? :o a branca é uma camisola de malha branca com brilhantes x) e a de dentro é uma camisa às riscas azul :3

    beijinhoo ♥♥

    ResponderEliminar
  9. realmente, no meu caso é uma vida nisto.

    espero q seja mesmo assim, se não não sei bem o que será de mim.

    e consegui *o*

    Eu tive um excelente Natal então e tu? :p

    ResponderEliminar
  10. consegui mesmo, correu melhor do q estava à espera.

    ResponderEliminar
  11. O final do mês de Dezembro tem sido só supresas, como referi, perde-se umas coisas, ganham-se outras. Dia 24 foi o dia que sinceramente foi o que senti mais a ilusão que tudo estava a correr bem. Recebi presentes que gostei e outros gostaria de ter recebido e não recebi.
    Acho que fazia-me bem ler um livro rápido de ler e que dê para refletir.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Gostei das fotos, só coisinhas boas :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Que fotos tan bonitas y que chulos los regalos :)
    Besos
    SHOPPING STYLE

    ResponderEliminar