Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2014

Sarau Cultural do IPP | 2014

Imagem
«Pouco importam as notas na música, o que conta são as sensações produzidas por elas».

Não sei o que «Porto» significa para os olhos de quem o elegeu Destino Europeu em dois mil e doze e novamente neste ano dois mil e catorze que ainda agora começou. Mas sei de cor todos os motivos que me levam a escolhe-lo todos os dias. A querer lá voltar. A permanecer. A relembrar. A sentir. A chorar. A sorrir. 
Porto, para mim, significa memórias. Cheiros característicos. Sons únicos. Sotaque sem igual. Significa vitórias. Saudade. Abraços. Descobertas. Conquistas. Recantos encantados e pintados de uma história ímpar. Mas, antes de tudo o resto, Porto passou a ser sinónimo de amizades. Atravessar a ponte e sentir o coração a encher-se de orgulho e felicidade por ir abraçar os meus. Quando todos os dias deixo a minha casa e a minha cidade (Gaia) com a promessa de voltar rápido, atravesso a ponte D. Luís e perco-me na beleza das duas margens, das minhas duas casas, do meu coração por inteiro. E sei q…

Conta-me quem és - As respostas

Imagem
«Eu sou assim, ligada na tomada. Sempre querendo encontrar uma razão para tudo. Pessoas como eu sofrem mais. Se decepcionam mais. Por outro lado, crescemos. Evoluímos. Amadurecemos. Nada é estático em nossas vidas. Nada é à toa. Tudo ganha uma compreensão, tudo é degrau, tudo eleva».  (Martha Medeiros)

Já há algum tempo que gostava de vos dar espaço para satisfazerem todas as curiosidades que têm a meu respeito. Vou abrir o livro e contar-vos quem sou. Sem rodeios, agora, respondendo às perguntas que me deixaram.

Diana Fonseca: Que fazes da vida, trabalhas, estudas? (Em que trabalhas ou o que estudas?) Estudo Educação Básica na Escola Superior de Educação do Porto.
Ana Câmara: És tão boa nas palavras ditas como nas escritas? Qual o teu maior defeito? A primeira pergunta é difícil, mas acho que sou melhor nas palavras escritas, talvez porque tenha mais tempo para pensar nelas. Depende muito das situações, mas se calhar há alturas em que guardo algumas coisas para mim. Se me pedirem um co…

Conta-me quem és

Imagem
«Gosto de gente simples e generosa, gente de afectos, que gosta com o coração todo, que ajuda, que dá sem pensar em contrapartidas, que ouve, que sorri com os olhos, que se emociona e que se entusiasma com as pequenas coisas. Gosto de pessoas que gostam das outras pessoas. Sem filtros».

Anonimato. Sempre entendi o mistério. O fascínio que se instala em nós perante o desconhecido. A imagem ficcionada que atribuímos quando acompanhamos algo ou alguém que, sem conhecendo, nos parece tão familiar. Tão real. Talvez o encantamento seja maior. E eu sempre gostei desse lado ilusório que nos coloca em dúvida perante algumas palavras. E ainda que nunca tenha seguido esse caminho nos meus blogues a verdade é que são raras as exceções em que falo de mim na primeira pessoa. Ou que dou a entender que o seja. 
A minha vida poucos conhecem. Quem sou, o que faço, o que quero. E preferi sempre preservar esse lado, limitando-me a expor ideias, opiniões, frases soltas camufladas pelo imaginário que me pe…

As minhas viagens de metro #3

Imagem
«O tempo foi diluindo a tua presença na minha vida. Quem sabe um dia também dissolva a tua imagem na minha memória e eu consiga finalmente esquecer-me de ti. Não é o que quero; porém, era o que deveria fazer. Nunca somos os donos do nosso coração. O meu não é meu, porque quando amo profundamente estou a dá-lo a outra pessoa»,
Margarida Rebelo Pinto

As memórias vão ficando ligeiramente turvas. Desfocadas como aquela nossa fotografia que encontrei enquanto remexia no passado.

Obras de arte... na areia

Imagem
«Andres Amador: O homem que faz obras de arte espectaculares na praia

Brincar na areia é a actividade preferida de qualquer criança: construir castelos, fazer buracos e túneis. Depois de muita prática, há quem se especialize na área das esculturas de areia, uma arte difícil de aperfeiçoar com resultados brilhantes. Mas esta corrente artística era para mim totalmente desconhecida: criar padrões megalómanos na areia. O resultado é de uma beleza quase alienígena.
Andres Amador é o nome do artista responsável por estas obras de arte voláteis. Ele vive em São Francisco, nos Estados Unidos, e a sua veia artística resume-se à areia, o meio que utiliza para fazer criações de outro mundo. Na praia, com a ajuda de um ancinho, ele começa a mexer e remexer no solo, criando padrões magníficos que surgem pelo contraste da areia molhada contra a areia seca. As peças que Andres cria são enormes e podem chegar a 10,000 metros quadrados, mais ou menos o equivalente a dois campos de futebol.
Estas obras…

As minhas viagens de metro #2

Imagem
«Como de ti já não tenho nada, resta-me fechar as portas e desejar que encontres o que queres no caminho que escolheste»; «Tu foste a minha grande aposta e a minha maior decepção», Margarida Rebelo Pinto

A palavra nunca sempre me fez alguma confusão. É tão forte como angustiante, como se nos carimbasse com alguma sentença. É uma palavra tão cheia de certeza, definitiva, que me assusta por isso mesmo, como se o facto de a pronunciarmos nos permitisse encerrar um capítulo ou impedir de fazer alguma coisa. Por exemplo, se disser «eu nunca mais como chocolates» é tão marcante, tão seguro, tão decisivo, que devia ser automático eu deixar de o fazer. O problema é que esse nunca devia ser para o resto da vida, mas eu não me imagino a deixar de comer chocolates uma vida inteira.

Os Aurora

Imagem
«Aurora: 1.Parte do dia que precede o nascer do sol. = Alva, Alvorada, Antemanhã, Dilúculo, Madrugada. 2. Fenómeno luminoso nocturno. 3. [Figurado] Princípio da vida. = Infância, Juventude ≠ Ocaso, Velhice. 4. Período inicial. = Início, Começo ≠ Crepúsculo, Decadência, Declínio, Ocaso 5. [Linguagem poética] Oriente».


Aurora é, portanto, o nascer. O começar. A luz que rompe a escuridão. Nada melhor do que um nome assim para um grupo que tem tudo para brilhar!

Programas como o Fator x têm a capacidade de nos dar a conhecer pessoas de um talento incalculável. É preciso coragem e talvez uma dose de loucura para ficar horas numa fila que mais parece não ter fim. Para aguentar a ansiedade que se instala. Para controlar os nervos e aguardar que a opinião dos jurados seja positiva e tudo aquilo que esperavam ouvir. Não basta chegar. É preciso vencer. Muitos não o conseguem. Mas depois há os outros: os que carregam no peito o talento que nos faz ficar de coração nas mãos e boquiabertos. Fernando Pe…

Muito mais do que um Museu. Um lugar mágico!

Imagem
«Se espera um Museu, vai-se desiludir... é muito mais do que isso».
A frase é de André Villas-Boas. Depois de ter a oportunidade de visitar o Museu Futebol Clube do Porto by BMG não podia estar mais de acordo. Aquilo não é um Museu. É um mundo à parte. Onde cada área é um misto de história e vitórias. Onde a nossa mística se prolonga infinitamente. É todo o amor azul e branco num espaço incrivelmente fantástico. Não é um museu. É mesmo muito mais do que isso. É nosso. E aquilo somos todos nós que partilhamos um emblema e um amor em comum. São as nossas vivências, as nossas saudades, os nossos sorrisos, as nossas lágrimas, a nossa raça e o nosso coração por inteiro. Somos Porto. Todos os dias. Mas dentro daquele mundo encantado e pintado a duas cores somos ainda mais. 
Não falta nada. Desde troféus à garra e à força que nos move. Sente-se tudo à nossa volta, como se fossemos automaticamente transportados para uma época em concreto. Lá dentro senti-me pequena pela grandiosidade das nossas…

As minhas viagens de metro #1

Imagem
«Quando alguém diz que quer ir, já foi» (Daniel Oliveira, A Persistência da Memória)

A vida é como uma viagem de metro: partimos sempre de um ponto, um lugar, específico e saímos onde e quando mais nos convém.

Fotografias extraordinárias num cenário de tirar o fôlego

Imagem
«Fotografar é uma maneira de ver o passado. Fotografar é uma forma de expressão, o "congelamento" de uma situação e seu espaço físico inserido na subjetividade de um realismo virtual. Fotografar é um modo de comunicar e informar. Seguindo o raciocínio, a linguagem visual fotográfica além de ser mais forte não é determinada por uma língua padrão, não precisando assim de uma tradução, uma vez que o diferem são as interpretações».

Eternizar. Devia ser sinónimo de fotografar, porque é isso mesmo que a fotografia representa: prolongar indefinidamente um momento. Recordar devia ser o desfecho de tudo isso. Dessa ocasião oportuna que se visa eterna. Cheia de história. De uma magia ímpar, que nos transporta não só ao passado, mas ao futuro que esperamos próximo. Ainda mais surpreendente. A fotografia abre-nos o coração, apontando a objetiva para tudo aquilo que nos é essencial e que fazemos questão de guardar. Para sempre!
Viajo todos os dias. Muitas vezes sem me levantar da cadeira. …

Caderno de bolso

Imagem
Cartas antigas ou recentes, perdidas no meu imaginário caderno de bolso

Parte do que Sou. Tudo começou em Junho de dois mil e nove e, desde então, este tem sido o meu refúgio. O lugar encantado onde posso abrir o meu coração, esteja ele a falar na primeira pessoa ou camuflado em ideias e opiniões que partilho, mas que não vivi. Não é segredo para ninguém que escrever faz mesmo parte da minha rotina. Não posso dizer diária, mas regular. Pelo menos sempre que sinto necessidade de comunicar abertamente, deixando que os meus pensamentos se entrelacem aos meus dedos e se envolvam numa espécie de dança muda, apenas quebrada pelo som de fundo das teclas que me dão conta do quanto o texto avança, muitas vezes, sem me aperceber. Há quatro anos que aquele espaço vem a crescer. E agora que caminho a passos largos para o quinto sinto que, talvez, esteja na hora de virar a página. 
Tudo tem que ser cuidado e estimado. Neste último ano, que correspondeu também ao meu terceiro na faculdade, sei que c…