Caderno de bolso

By Andreia Morais - fevereiro 01, 2014


Cartas antigas ou recentes, perdidas no meu imaginário caderno de bolso


Parte do que Sou. Tudo começou em Junho de dois mil e nove e, desde então, este tem sido o meu refúgio. O lugar encantado onde posso abrir o meu coração, esteja ele a falar na primeira pessoa ou camuflado em ideias e opiniões que partilho, mas que não vivi. Não é segredo para ninguém que escrever faz mesmo parte da minha rotina. Não posso dizer diária, mas regular. Pelo menos sempre que sinto necessidade de comunicar abertamente, deixando que os meus pensamentos se entrelacem aos meus dedos e se envolvam numa espécie de dança muda, apenas quebrada pelo som de fundo das teclas que me dão conta do quanto o texto avança, muitas vezes, sem me aperceber. Há quatro anos que aquele espaço vem a crescer. E agora que caminho a passos largos para o quinto sinto que, talvez, esteja na hora de virar a página. 

Tudo tem que ser cuidado e estimado. Neste último ano, que correspondeu também ao meu terceiro na faculdade, sei que cuidei pouco daquele que foi o meu porto de abrigo para a escrita. E com isso afastei quem perdia sempre um pouco do seu tempo para ler os meus devaneios assinados com o lado esquerdo do peito. Houve mudanças. Deixei de ter tempo para lá ir. Mas fui percebendo que isso não aconteceu apenas comigo, pois muitos foram aqueles que me seguiam que também deixaram de publicar. Agora sempre que entro naquele mundo, por mim construído, compreendo que já nada é como antes. Que apesar do número de seguidores ser elevado pouquíssimos são os que me visitam. Perdi ligações. E acho que mesmo os que lá vão já nem lêem na diagonal. Tornou-se inevitável desprender as amarras e voar para outros horizontes.

Sempre afirmei que nunca escrevo para quem me lê. E não me interpretem mal quando afirmo isto, porque é no sentido de não o fazer por pensar que vão gostar. Escrevo o que escrevo porque é mesmo meu, porque me sai do coração, porque me liberta e me completa. A questão de partilhar é diferente. Aí sim, partilho para que leiam, para que critiquem, para que partilhem comigo os vossos pontos e vista e, quem sabe, algumas histórias. Porque acredito que só melhoramos quando recebemos as opiniões de quem está do outro lado. E sinto que isso deixou de aconteceu. Sinto que o «Parte do que Sou» passou a ser apenas um lugar de depósito e não de troca de ideias, experiências, que nos ajudam a crescer. Por isso sim, está na hora de mudar de ares e recomeçar. Noutra página. Um novo parágrafo. Uma nova roupagem. Uma nova motivação. Por tempo indeterminado. Esperando que seja para sempre. 

Caderno de bolso. Começou desta forma um dos projetos a que me propus. O objetivo era publicar textos antigos, que ainda não tinha exposto no blog, e outros recentes, sem nunca identificar esse dado, como se fossem uma história sem uma sequência lógica, mas que, de uma forma ou outra, contava partes de mim, do que fui sentindo e pensando ao longo do tempo. Acabei por não lhe dar a importância que esperava e o projeto ficou no esquecimento. Só que no fim destas férias senti uma enorme vontade de dar vida a esse caderno de bolso imaginário. E foi numa viagem de metro que percebi que, desta vez, tinha mesmo que me comprometer de corpo e alma. 

Quase todos os dias faço, pelo menos, duas viagens de metro, quer seja para ir para a faculdade, quer seja para ir passear. E muitas vezes sinto-me a divagar em pensamentos sobre situações vividas na primeira pessoa ou ideias para um novo texto. Não sei se é pela bela paisagem que se estende enquanto atravesso a ponte, deixando Gaia com saudade e invadindo o Porto com amor. Mas é então que tenho a necessidade de comprar um daqueles cadernos pretos com fita para fechar, quase como se fossem um diário, mas numa versão mais moderna. Assim sei que, esteja onde estiver, posso anotar tudo o que me vem à memória, sem correr o risco de me esquecer. As ideias que nos surgem não aparecem só quando estamos em casa, confortáveis em frente ao computador, prontos a escrevê-las. Aparecem em qualquer altura e lugar. Por isso, decidi que estava na altura de voltar ao «caderno de bolso», mas modernizá-lo. A começar pelo nome. Aquilo que era o «Caderno de Bolso» passará então a ser ser «As minhas viagens de metro». A descrição inicial (que aparece logo no começo deste texto) perderá apenas a palavra «imaginário». A ideia é também acrescentar citações que complementem o que escrevi. No final, colocarei a data em que os textos foram escritos. E posso sempre ir recuperar textos antigos que partilhei no outro blog. 

Não deixarei de publicar notícias, vídeos, músicas, fotografias, textos de outros autores e as minhas crónicas, apenas acrescentarei mais este tópico, digamos assim. Por isso, sempre que virem o título «As minhas viagens de metro» já sabem sobre o que se trata. Obrigada por terem sido tão recetivos com esta ideia e por me ajudarem a crescer. Todos os dias.

  • Share:

You Might Also Like

21 comentários

  1. Epá, tu escreves que é uma coisa fantástica *.*
    R: Oh, muito obrigado querida, é tão bom transmitir esse orgulho :)

    ResponderEliminar
  2. Às vezes faz bem um novo começo. E este novo começo parece-me que vai ser bastante bom! Estou bastante curiosa com os textos que vão surgir :) Eu tenho um caderno desses, de bolso, mas é só para micro-histórias. Uma palavra, uma frase. Talvez um dia siga o teu exemplo e mostre neste mundo o que vai no fundo do meu coração!
    E, para que saibas, eu leio-te de verdade! Não é na diagonal, nem para dizer apenas que "gostei". Eu leio-te, para comentar à séria :) E adoro ler-te.

    ResponderEliminar
  3. «Sempre afirmei que nunca escrevo para quem me lê. E não me interpretem mal quando afirmo isto, porque é no sentido de não o fazer por pensar que vão gostar. Escrevo o que escrevo porque é mesmo meu, porque me sai do coração, porque me liberta e me completa. A questão de partilhar é diferente. Aí sim, partilho para que leiam, para que critiquem, para que partilhem comigo os vossos pontos e vista e, quem sabe, algumas histórias.» tal e qual!

    Estou curiosa para ver essas Viagens de Metro :)

    ResponderEliminar
  4. Aos poucos vais conseguir ter estas ligações outra vez :)

    Womens's Stuff

    ResponderEliminar
  5. ó mas é tão coiso deixá-los aqui sozinhos $:

    sim, o problema é q estão mesmo só a buscar más praxes o q está a assustar muitos pais de futuros alunos e deles q já lá estão e com tudo isto sem ser proibida a praxe ela ainda vai é extinguir.

    ResponderEliminar
  6. Cá estarei para me juntar a ti por meros minutos nessas viagens de metro. Tenho a certeza que serão viagens fantásticas!
    R: É verdade querida. São os sentimentos bons que nos fazem pessoas melhores mas os sentimentos maus também nos fazem crescer. Bom fim de semana querida ♥

    ResponderEliminar
  7. já te sigo mor, estarei aqui muitas vezes :)
    bom fim de semana *

    ResponderEliminar
  8. R: Ora essa minha querida. É muito bom vir aqui e acompanhar-te diariamente. ♥

    ResponderEliminar
  9. R: Que traga a mim, a ti e a todos nós aquilo que não tivemos em Janeiro. Janeiro foi, como a minha mãe diz, "pior que o Deus me livre". Tenho esperança nos próximos meses ♥

    ResponderEliminar
  10. Espero bem que sim, tenho que subir as minhas notas :)
    É mesmo, vai saber tão bem *

    ResponderEliminar
  11. Eu também tenho um caderno que eu chama de 'Desabafos'.
    Eu acho que fazes bem mostrar um pouco de ti, até porque escreves terrivelmente bem ;D
    Beijinho grande *

    ResponderEliminar
  12. Escreve tão bem, é um enorme gosta passar aqui. "Sempre afirmei que nunca escrevo para quem me lê". Concordo plenamente contigo, nós devemos escrever para nós, quem lê que faça a sua interpretação, boa ou má, mas tb isso não interessa porque ninguem sentirá as nossas palavras como nós. Escreve-se o que dita o coração, escreve sem pensar no que os leitores pensarão do que se escreve, isto chama-se escrever por paixão... Beijinho grande e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  13. Acho a ideia fantástica e estou curiosa. Os textos vão ser diferentes mas tenho a certeza que sempre "deliciosos". Tal como tu também tenho um caderno onde costumo escrever apenas rabiscos, apenas isso.

    ResponderEliminar
  14. muito obrigada por cada palavra, princesa <3

    ResponderEliminar
  15. Já te estou a seguir linda :)
    Bom regresso *

    ResponderEliminar
  16. Já sabes que irei estar aqui para ler as tuas viagens e afins, desde a opiniões e a coisas da sociedade que partilhas aqui :) acho que partilhar faz bem, principalmente quando é de coisas pessoais e até de coisa que acontecem à tua volta. E eu por acaso gosto muito disso e acabo por atualizar-me :p

    beijinhoss minha querida ♥

    ResponderEliminar