Fotografias extraordinárias num cenário de tirar o fôlego

By Andreia Morais - fevereiro 02, 2014


«Fotografar é uma maneira de ver o passado. Fotografar é uma forma de expressão, o "congelamento" de uma situação e seu espaço físico inserido na subjetividade de um realismo virtual. Fotografar é um modo de comunicar e informar. Seguindo o raciocínio, a linguagem visual fotográfica além de ser mais forte não é determinada por uma língua padrão, não precisando assim de uma tradução, uma vez que o diferem são as interpretações».


Eternizar. Devia ser sinónimo de fotografar, porque é isso mesmo que a fotografia representa: prolongar indefinidamente um momento. Recordar devia ser o desfecho de tudo isso. Dessa ocasião oportuna que se visa eterna. Cheia de história. De uma magia ímpar, que nos transporta não só ao passado, mas ao futuro que esperamos próximo. Ainda mais surpreendente. A fotografia abre-nos o coração, apontando a objetiva para tudo aquilo que nos é essencial e que fazemos questão de guardar. Para sempre!

Viajo todos os dias. Muitas vezes sem me levantar da cadeira. Perdida em memórias reveladas a 10x15. Vasculhando tantas outras que ainda permanecem em lista de espera. Deixo-me envolver na sensação de leveza que é olhar para fotografias paisagísticas de locais onde ainda não tive o privilégio de ir. Sentindo a familiaridade, sem o ser, das caras sorridentes que aparecem em muitas delas, em segundo plano. E segredo a vontade de um dia estar atrás de uma Canon 600D a fotografar cada um daqueles recantos encantados, que nos contam passagens extraordinárias de vida. Cravadas no desgaste que o tempo faz sobressair.   
O mundo por olhos tom de castanha. É o meu mundo. O que eu vejo mais além. O que me faz parar e dar uso à minha modesta Nikon Coolpix S3200. E sempre que as revejo lembro-me do exato momento em que as tirei. Das pessoas que estavam ao meu lado. Há alturas em que quase consigo ouvir as gargalhadas que determinados acontecimentos proporcionaram. Recordo-me da beleza inconfundível dos lugares, do desejo de lá voltar e conhecer ainda mais, do entusiasmo, da cara de espanto, da sensação de aconchego. Serei incondicionalmente suspeita, mas quem atravessa a ponte D. Luís, no Porto, não consegue ficar indiferente à paisagem. Atravesso-a quase todos os dias de metro. E quando faço o mesmo percurso a pé, ainda que o cenário não tenha mudado, apetece-me ficar horas a fotografar aquela vista digna de figurar num postal de boas-vindas. Ou então quando chego à praia Mar e Sol, em Gaia, e sinto toda a minha infância a correr-me o corpo. Numa dança saudosista que me aquece o lado esquerdo do peito. Paro. Fecho os olhos. E imagino todos os espaços onde já fui capaz de me perder desta maneira. Porque numa fotografia sou capaz de guardar o mundo. E sentir-me em casa. Porque a minha casa será sempre onde o meu coração se sentir bem, ainda que, naturalmente, não troque a minha cidade. É que sabe bem largar tudo e partir à descoberta, mas nada é melhor do que o regresso. 

Há fotógrafos de enorme talento. E a título de curiosidade não posso deixar de mencionar Isabel Saldanha, cujas fotografias e forma de escrever são absolutamente deliciosas de serem acompanhadas aquiaqui e aqui. Não resisto em perder-me propositadamente nos retratos extraordinários que consegue captar, não só pela aptidão natural que tem para isto, mas por toda a paixão que demonstra. É que o talento de nada serve se realmente não se gostar do que se faz. E isso nota-se. Tanto nas histórias que nos conta em jeito de descrição da fotografia como nos pormenores que esta insere e que escapariam aos olhos de quem não tem tanto amor a esta arte. É fantástica, capaz de nos roubar a atenção de forma descarada, pelo seu estilo descontraído, livre, mas igualmente profissional. É bom existirem profissionais assim, que levam o seu trabalho muito a sério, mas que não deixam que isso se sobreponha à paixão que os move. Confesso-me admiradora do seu trabalho. E ainda mais desvendo que é uma inspiração. Das grandes. Das boas. Das que nos fazem querer lutar sempre pelos nossos sonhos e não ter medo de arriscar. 

Há fotografias que nos fazem levitar. Ficar sem fôlego. Sonhar. As de Isabel Saldanha conseguem isso tudo. Assim como as de Elena Shumilosa, que captando «diferentes tipos de luz, semáforos, luz das velas, nevoeiro, fumo, chuva e neve» ao «longo do ano e das estações» apresenta cenários que mais parecem saídos de filmes de histórias encantadas. Os filhos são as personagens principais, transportando-nos para momentos únicos e de uma beleza absolutamente magnífica. Vale a pena ver este trabalho extraordinário aqui. E ficar completamente sem palavras à medida que avançamos nesta viagem mágica.

As fotografias contam-nos histórias de várias cores. A sépia. A preto e branco. De várias pessoas. E infinitos lugares. Numa linguagem muda que só o nosso olhar é capaz de entender e acompanhar. Fazendo-nos perder o Norte. Encontrando o Sul. Deixando-nos com uma enorme vontade de pegar na mochila, guardar a máquina fotográfica e o caderno de bolso lá dentro e correr o mundo. Criando a nossa própria história de mil histórias. Com contornos sem fim. 


«Porque cada fotografia é inesquecível, cada uma com a sua história».

  • Share:

You Might Also Like

24 comentários

  1. Adoro!! O texto e fotografia :b
    Tens um blog super completo!!
    R: Não sabia que havia de coco :o

    ResponderEliminar
  2. Adoro a foto e as tuas palavras claro :) é sempre tão bom vir aqui :)

    Santi

    ResponderEliminar
  3. É isso, e dois dias vão passar a correr.. :P
    Cada vez que leio o teu blog, parece que entro numa história :b
    Ai a ponte D. Luis, só de pensar em atravessá-la fico nostalgica, e sim tem uma paisagem incrivel.. :D
    beijinho *

    ResponderEliminar
  4. Como sempre minha querida Andreia, com as palavras certas!! Fotografar é mesmo isso! E quanto adoro as minhas fotografias, que mesmo que não sendo com as melhores maquinas, nem com a melhor qualidade, contam-me sempre histórias, fazem-me voltar a sítios, momentos..que foram a construção daquilo que sou hoje! São as melhores memórias :) beijinho!

    ResponderEliminar
  5. Fotografar é mesmo a forma de deixar o presente marcado, para ser recordado num futuro, como um passado que na tua vida ficou marcado.. Mais um texto que gostei muito. Beijinho

    ResponderEliminar
  6. É muito bom mesmo. É de amizades verdadeiras que nós precisamos! :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  7. Mesmo por vezes as fotos têm imensas histórias, o recordar de um passado e as vivências.
    Gostei imenso do texto e da foto que escolheste.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. gostei imenso do texto eu amo fotografar :D
    uma optima semana :)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  9. ó mas não sei, sinto-me mesmo culpada s:
    é q isso está a assustar muita gente :x

    ResponderEliminar
  10. Fotografar e conseguir captar a verdadeira essência do lugar ou da pessoa é uma verdadeira arte e a que tu escolheste transmite isso mesmo!

    http://thatsthe-way.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Uma imagem vale mais do que mil palavras, principalmente se for como a imagem que tu escolheste. Também adoro fotografia, mas não fotografo, só acompanho (e às vezes ajudo a carregar o equipamento :P)
    Continua a fotografar e a viajar pelas imagens. Boa semana!

    ResponderEliminar
  12. Hermosa foto y bonitas palabras!!!!
    Buen comienzo de semana, guapa!! y mi g+ para ti!!!:)))

    Besos, desde España, Marcela♥

    ResponderEliminar
  13. Obrigada :)
    Boa semana minha querida *

    ResponderEliminar
  14. Tu és maravilhosa, consegues mesmo cativar com as tuas belas palavras !

    ResponderEliminar
  15. Que lindo! Para além de a fotografia já ser poderosa conseguis-te fazer com que fosse mais ainda, adorei do que escreves-te. e gosto de encontrar pessoas de que escrevem sobre coisas de que gosto, até porque dá mais gosto ler graças a isso e eu li 2x *-* e gostei em especial dos último paragrafo, porque realmente cada fotografia conta uma história através da sua cor :) e fez-me lembrar um amigo meu que adora editar fotografias a preto e branco.. nunca percebi o porquê, até me faz confusão ver fotos espetaculares daquele feitio, mas a verdade é que já o carateriza e às fotos dele que quase consigo ver cor nas suas fotos. com o tempo vamos mudando o olhar para esse gosto. E saber apreciar gostos de pessoas assim é começar a gostar também :)

    Pois é querida! não poderia deixar de concordar com as tuas palavras. muito obrigada por tudo, a sério ♥
    Enfim, há que ter paciência e tentar saber lidar com pessoas assim (sem respeito pelos outros)... muito obrigada pela força!!

    Um beijinho grande, minha queridaa ♥

    ResponderEliminar
  16. Fotografar lava a alma quase tanto como escrever. Sabe tão bem e é tão sincero por vezes ao observar algo à nossa volta pensar o quanto gostaríamos de ter connosco uma máquina que pudesse imortalizar aquele momento. Adorei ^^

    ResponderEliminar
  17. Nice :)

    NEW POST...

    http://www.gagcloud.com/2014/02/nail-polish-from-tmart.html

    ResponderEliminar
  18. Fotografar é um dos meus hobbies favoritos, sem dúvida. Eternizar momentos é o mesmo que poder congelar a felicidade que outrora já vivemos. É recordar e voltar a ser feliz :)

    ResponderEliminar