Alta Definição #3


«Eu sou tudo o que vivemos, mais o que deixei por viver. Sou a soma dos anos, dos risos e das angústias. Não posso ser o que fui quando não sou o que era. Nem tu podes querer que eu seja a pessoa que tu gostavas que fosse».


Estar. Não parece uma grande loucura, pois não? Para mim foi, porque estive, principalmente, quando soube que nada do que sentia seria reciproco. 

Aprenderes a colocar os teus sentimentos em segundo plano para conseguires auxiliar apenas como amigo pode ser uma viagem alucinante. Uma verdadeira loucura. Não é fácil, até porque receias sempre estar a exigir mais do que aquilo que era suposto. Colocas a hipótese de não estares a fazer as coisas pelos motivos certos. És obrigado a parar e a fazer uma linha de pensamento que te leve à resposta. Passei por tudo isso e hoje sei que tudo o que fiz foi pelas razões certas. Isso descansa-me, precisamente por saber que era capaz de fazer o mesmo por outra pessoa qualquer. Nunca houve segundas intenções, nem fiz mais por existir um acréscimo de sentimentos.

Talvez essa tenha sido a maior loucura que fiz por amor. Ser capaz de esquecer o que sinto, guardar tudo numa caixa e estar enquanto fosse precisa. Mesmo que isso implicasse chegar a casa desgastada, de lágrimas prontas a escorregar pelo meu rosto e coração apertado. Não seria justo largar a bomba no meio de toda a catástrofe que estava em curso, por isso amei em segredo enquanto estive de braços abertos, sem esperar qualquer agradecimento nem retribuição. Agora não faz sentido, mas sei que repetiria tudo sem hesitar, porque, para mim, a amizade será sempre uma das mais bonitas formas de amor. Hoje ela já não existe, mas o meu amor por ti também não.

Comentários

  1. Essa foi uma grande loucura, de facto.

    r: eheh eu adoro bebés :)

    ResponderEliminar
  2. adoro os teus textos!
    r. Os brush dão imenso jeito :)

    ResponderEliminar
  3. r: Acredito minha querida, mas às vezes temos mesmo de deixar ir para que algo melhor possa entrar nas nossas vidas. No final provaste a ti mesma que eras capaz de fazer uma das coisas mas difíceis de sempre e sem dúvida que esse mérito e essa força já ninguém te tira.

    ResponderEliminar
  4. Eu não sei se conseguiria. Sou demasiado impulsiva e transparente para não deixar transparecer o que não devia. Foste uma heroína.

    ResponderEliminar
  5. Adorei esta publicação e admito que não conseguia fazer o que fizeste...

    ResponderEliminar
  6. eu nunca tinha experimentado base, pq acho que fica muito efeito boneca, mas assim que a senhora da loja disse para experimentar adorei o efeito que ela deu!

    ResponderEliminar
  7. Adorei e concordo com todas as palavras que escreveste!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  8. Para mim, o amor, nasce de uma verdadeira amizade e quando temos amor, carinho por essa pessoa, fariamos tudo para a ver bem, mesmo que nos prejudicássemos, mesmo que escondêssemos o quanto gostávamos dela, fariamos tudo por amor, por amor ao outro e essa é a maior locura da vida, deixar nossos sentimentos escondidos, em prol do outro, deixando nossas lágrimas seguradas quando estamos próximas de quem amamos, mas quando estamos sós desabam... concordo plenamente contigo e seria bem capaz de fazer o mesmo. Um beijinho e obrigada pela tua sempre visita no meu blog

    ResponderEliminar
  9. pois é como eu, sempre tive a ideia que a base deixava as pessoas com a cara muito encerada, mas não é o caso desta, pelo menos estou a gostar do resultado :)
    Também as make ups vão evoluindo e ficando sempre melhores :)

    ResponderEliminar
  10. Grande loucura ;)

    Sónia
    www.tarasemanias.pt

    ResponderEliminar
  11. resp: eu á noite normalmente não vejo muita televisão, ligo antes o rádio. E antes de me deitar para dormir coloco temporizador de uma hora. E depois ele desligasse ao fim dessa hora :)

    ResponderEliminar
  12. r: claro querida, acho que foi a atitude mais acertada que tomaste. Assim como assim estarias a sofrer mesmo que não abrisses mão dessa pessoa/sentimento uma vez que às vezes lutarmos sozinhos em prol de algo que devia ser lutado a dois e do interesse de ambos magoa mais do que acabar por desistir.

    ResponderEliminar
  13. Adorei o texto identifico me tanto, aconteceu algo idêntico há algum tempo.

    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. A minha resposta seria tal e qual a tua. Esta é provavelmente a loucura que mais mal nos faz!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário