Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2015

Último dia!

Imagem
«All it takes is faith and trust, and a little bit of pixie dust», Peter Pan

Dois mil e quinze foi um ano cheio: de amor, de conquistas, de superações, de resoluções, de sorrisos, de lágrimas, de medos; de mudanças, de chegadas, de sonhos a ganhar forma, de estreitar ligações, de tudo. Fui muito feliz. E sei que o caderno azul onde me desafiei a escrever os #365happydays me ajudará a relembrar todos esses detalhes que me encheram o coração. No entanto, nem tudo foi perfeito. Carreguei a dor que um avc provoca nos nossos, o medo do que virá depois, a angustia de querer fazer tanto e não poder, porque há coisas que são maiores do que nós. Mas no meio dos receios, a paz de um sorriso e da atitude de quem quer vencer!

Jukebox #3

Imagem
«(...) Queria ter-te hoje ao meu lado Mesmo estando magoado Meu corpo não quer estar só E a minh'alma só quer Ver esses teus cabelos doirados E o teu sorriso prateado Mas por mais que eu te deseje Meu mundo manda-me estar só».

Destino

Imagem
«Não poucas vezes esbarramos com o nosso destino pelos caminhos que escolhemos para fugir dele», Jean de La Fontaine

Acredito no destino. Desde sempre. E cada vez mais! Há alturas em que dou por mim a pensar como seria a minha vida se as coisas tivessem seguido determinado rumo, aquele que imaginei, por força das circunstâncias, que fosse o certo. Onde será que estaria agora? E depois paro. E afirmo silenciosamente que, se era para ser assim, a vida encarregar-se-ia de arranjar forma de me encaminhar para onde me encontro.

A parte boa de fazer trabalhos

Imagem
Ontem, enquanto fazia mais um trabalho, encontrei um texto maravilhoso que podia muito bem definir a minha visão de escola.

Quero #4

Imagem
O quarto volume da série Millennium! Não conhecia o trabalho de Stieg Larsson até receber no Natal de há dois anos o primeiro livro: «Os homens que odeiam as mulheres». E não demorou muito tempo até adquirir os outros dois: «A rapariga que sonhava com uma lata de gasolina e um fósforo» e «A rainha no palácio das correntes de ar». O escritor faleceu antes de ver a sua obra publicada, mas o sucesso é reconhecido mundialmente. Começaram a surgir rumores de que esta trilogia teria continuação, o que se revelou algo controverso, até porque as opiniões estavam divididas. David Lagercrantz, mesmo assim, aventurou-se e «A rapariga apanhada na teia de aranha» é, então, o sucessor desta saga. A minha curiosidade está a mil! Se há livros que recomendo, estes pertencem a essa categoria, porque são absolutamente viciantes. No entanto, vou ter que esperar mais um pouco. É que tenho os três primeiros em edição de bolso e este ainda não se encontra disponível nesse formato.

Férias? Quem falou em férias?

Imagem
Permiti-me ter dois dias de folga, até porque a véspera e o dia de Natal não podem ser perturbados com detalhes extra. No entanto, agora são os livros, as fotocópias, os apontamentos e as múltiplas páginas de word que ganham destaque. Não sei quem falou em férias, mas acabaram-se as pausas - pelo menos até à noite da passagem de ano. Diz que esta época é ótima para trabalhos de faculdade. E os prazos de entrega estão a ficar cada vez mais próximos!

+ Natal

Imagem
O meu Natal perfeito é sempre passado em família. E todos os anos posso comprovar a veracidade desta afirmação. Nunca desilude. Muito pelo contrário, surpreende constantemente pela positiva. Como foi o vosso?

Noite mágica!

Imagem
«Oxalá pudéssemos meter o espírito de natal em jarros e abrir um jarro em cada mês do ano», Harlan Miller

A casa foi invadida. Por memórias de infância. Por cheiros doces que abrem o apetite. Por sensações de nostalgia. Por uma vontade infinita de parar o relógio e fazer desta noite interminável. As decorações que saíram das caixas no dia oito ganharam novo encanto. As cores parecem mais vivas, mais poderosas, mais cheias desta magia tão própria do Natal. Talvez esteja tudo igual a ontem. Talvez estas paredes brancas não passem disso mesmo. Talvez sejam os meus olhos turvos de sonhos que observem os pormenores com outros filtros. Não me importo. Há datas em que me permito abrir as portas às ilusões inofensivas que pintam os momentos com outra verdade.

Banda Sonora #10

Imagem

O que li por aí #36

Imagem
«Feliz, feliz Natal, que nos traz de volta as ilusões da infância, recorda ao idoso os prazeres da juventude e transporta o viajante de volta à própria lareira e à tranquilidade do seu lar», Charles Dickens

Perdições #10

Imagem

Jukebox #2

Imagem
«(...) Eu não te quero atrás de mim, apenas ao meu lado Sim, ouviste bem, apenas ao meu lado  Para saboreares cada momento  Da tua vida comigo ou chegar ao ponto rebuçado (...)  Basta dizeres, porque eu vou estar onde tu quiseres estar Vem comigo e vais ver que eu faço valer a pena»

Quero #3

Imagem
Desde sempre que o chocolate preto é o meu favorito. E se tiver sabor a menta melhor ainda. Por essa razão, não é de estranhar que adore os famosos After Eight. No entanto, não os compro com muita frequência, até porque sei que se os tiver em casa não lhes conseguirei resistir. A próxima aquisição serão os pauzinhos - tenho imensa curiosidade em experimentar. Ofereçam-me uma caixa destes chocolates e garanto-vos que sou a mulher mais feliz do mundo!

O mundo por olhos tom de castanha #25

Imagem

À boleia do mundo #17 (Parte 3)

Imagem
Capítulo 17 (conclusão) 28.08.2014

14h52: Findo o almoço, e depois de descansarmos um pouco, vamos embora.
As pestes da família (eu incluída) vão a cantar e a dançar José Malhoa. E Emanuel. E um conjunto de artistas de quem não conhecemos o nome.

À boleia do mundo #17 (Parte 2)

Imagem
Capítulo 17 (continuação) 28.08.2014

O hotel vistoso não passa despercebido. E por baixo há lojas de oferta e artigos religiosos. Logo ao lado veem-se as barracas com brinquedos e os mais diversos artigos. Na parte superior existe um parque com café, mesas, um lago e barcos. Não fui lá, mas a minha madrinha diz que é muito bonito.

À boleia do mundo #17 (Parte 1)

Imagem
Capítulo 17 Quinta, 28.08.2014

07h30: É hora de acordar. Vou direta à casa de banho para tomar banho e arranjar-me. Hoje é dia de mais um passeio com os meus padrinhos e os meus afilhados.

Preconceitos

Imagem
Todos nós, inevitavelmente, temos preconceitos. O que nos distingue é a nossa vontade de os quebrar ou de os continuar a alimentar. Uma opinião formada erradamente é a consequência de um conjunto diversificado de fatores, mantê-la depois de sabermos o quanto tínhamos a nossa mente fechada é apenas estupidez!

As minhas viagens de metro #36

Imagem
«Aquele que diz uma mentira não calcula a pesada carga que põe em cima de si, pois tem de inventar infinidade delas para sustentar a primeira», Alexander Pope

Caiu o pano. A máscara partiu-se em dois pedaços soltos, desamparados, desiguais.

O que li por aí #35

Imagem
«(...) O caminho é ainda mais difícil do que a escolha. Nada se faz inteiro só porque se quer segurar na mão duas metades», Isabel Saldanha

Abrir gavetas XI

Imagem
Aqui está a décima primeira e última ronda de perguntas. Muito obrigada a todos aqueles que participaram!

Perguntas da Cláudia Persi:
O que mais gostas numa pessoa? Fisicamente: o sorriso, o olhar e que faça covinhas no rosto. A nível de personalidade: o sentido de humor, a honestidade, a capacidade de não se levar a sério, a responsabilidade e o facto de ter objetivos de vida.

Jukebox #1

Imagem
«(...) Cada dia é um bico d’obra Uma carga de trabalhos, faz-nos falta renovar Baterias, há razões de sobra Para celebrarmos hoje com um fado que se empolga É dia de folga!»

Querer saber

Imagem
O que as pessoas querem é saber. E enquanto não o conseguem vão lançando as suas teorias até obterem qualquer reação que denuncie o alvo das provocações. É triste. E há dias em que me apetece esquecer a delicadeza e dizer friamente «vai direto à questão, não precisas de ficar a mandar bocas». Mas como li há dias, «inteligente é aquele que se faz passar por burro perante aqueles que se armam em espertos».

Esclarecimento

Imagem
Na publicação de ontem (Vingança misteriosa) partilhei o micro relato com que concorri ao passatempo lançado pelo AXN, sobre o qual falei aqui. Uma vez que já saíram os resultados, fez-me sentido mostrar-vos a minha participação. Não ganhei, nem perto disso, mas foi gratificante desafiar-me e receber o vosso feedback tão positivo. Aquele texto não terá continuação, mas, se calhar, não será o único, talvez me aventure mais vezes neste género de mistério e crime. Além disso, deu-me ideia para aquilo que espero que venha a ser uma nova rubrica.

Vingança misteriosa

Imagem
«A vingança profunda é a filha do profundo silêncio», Vittorio Alfieri

Um grito. Um disparo. Depois disso não tenho qualquer memória. Nem uma explicação plausível para ter acordado no quarto 17, quando o meu é no fundo do corredor.

Quero #2

Imagem
Ir ver «O Principezinho». Não é segredo, sou apaixonada por esta história irresistível, por isso não podia ter ficado mais feliz quando me disseram que ia sair o filme. O trailer está incrível, mal posso esperar para ir ao cinema!

Pensamento periclitante #22

Imagem
Sou feita de saudades intermináveis.
#pessoal #saudades #partedemim #interminável #características #ser #fragmento
...

Abrir gavetas X

Imagem
Aqui está a décima ronda de perguntas

Perguntas da Cláudia S. Reis:
Se pudesses ser um dia da semana qual serias? Segunda-feira! Para mim, este dia da semana simboliza recomeço e/ou a oportunidade de continuar com algo. É como se chegassemos ao fim de um ciclo e nos fosse dada a hipótese de fazer tudo com ainda mais vontade e sentido.

Sou...

Imagem
... um pedaço de nada, que anseia a novidade de um novo amanhã!

TAG: About me and my blog

Imagem
A Andreia, do blogue Andreia Pereira Blog, nomeou-me para a tag «About me and my blog». Antes de avançar, tenho que lhe agradecer por se ter lembrado de mim. Passamos às perguntas?

#100happydays novembro

Imagem
«Você conseguiria ficar feliz durante 100 dias seguidos?»

Chegamos ao fim de mais um capítulo. E sinto que as palavras se repetem, porque a velocidade com que o tempo passa não deixa de me surpreender. É estranho perceber que o primeiro objetivo deste desafio foi superado há vários meses. E é igualmente gratificante olhar para o caderno e ver que estou um passo mais perto de concluir aquilo a que me propus. No dia em que entramos em dezembro, tenho mais trinta dias de felicidade para partilhar.