Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2016

Diz-me por onde andas #8

Imagem
«No fundo de um buraco ou de um poço acontece descobrir-se as estrelas», Aristóteles

Vila das artes. No passado domingo, viajamos com destino a Caminha, para irmos até à Feira Medieval. No entanto, antes de nos perdermos nesse mundo encantado, seguimos caminho até Vila Nova de Cerveira. Porquê? Porque «O crochet sai à rua»!

Embalo

Imagem
«No fundo ela nunca passará de uma caixinha de música meio desafinada»,  Clarice Lispector

São fases São luas São estrelas São notas musicais Em suspenso

Entrelinhas #12

Imagem
«Durante vinte anos de casamento, Tim e Jane Farnsworth saborearam os frutos do trabalho dele como advogado de sucesso: vivem numa casa confortável, fazem férias em locais exóticos, não têm quaisquer preocupações financeiras. Tim venceu por duas vezes uma bizarra e inexplicável doença, mas tais episódios, embora não completamente esquecidos, fazem parte do passado. É então que a doença regressa, obrigando-o a comportar-se de uma forma assustadoramente nova. Tim é empurrado da sua confortável existência para uma vida que não reconhece, e isso vem pôr à prova a constância do amor de Jane. Até onde irá Tim para combater as incompreensíveis reacções do seu corpo, e o que arriscarão ambos para encontrar o caminho de volta um para o outro?»

O autor Joshua Ferris era completamente desconhecido para mim, até encontrar o seu livro numa promoção do Continente, onde poderíamos adquirir um livro por seis euros ou, então, três por 12. Quando li a sinopse fiquei bastante curiosa, ainda para mais por…

Repetição sistemática

Imagem
Quantas vezes prometemos não repetir determinados passos e acabamos por fazê-lo? Até quando aguentaremos sentir os mesmos erros, as mesmas angústias e o mesmo nó no peito?

As minhas viagens de metro #44

Imagem
«E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti», Friedrich Nietzsche»

Sinto o peso dos meus olhos a acompanhar o muro que se ergueu sobre o meu peito. Não há um passo que dê que não me encaminhe para o abismo. E esta sensação desmedida de desamparo e sufoco retira-me qualquer força para lutar.

Lados opostos

Imagem
Prolongas o silêncio. E eu prolongo o caos em que isso me deixa, mas sem quebrar esta falta de comunicação que é, cada vez mais, constante...

Fragmentos #9

Imagem
Sou capaz de passar horas a ver os Barbixas que, segundo os próprios, são uma «companhia de humor de caráter duvidoso». Escusado será dizer que discordo, até porque humor têm de sobra. E não me canso de assistir aos vários jogos que desenvolvem de improviso. Escolham qualquer um dos vídeos, tenho a certeza que se vão rir tanto como eu!

Jukebox #20

Imagem
«(...) Por fora não se vê  Que por dentro é desamor

Diz-me por onde andas #7

Imagem
«No fundo de um buraco ou de um poço acontece descobrir-se as estrelas», Aristóteles

Zoo Santo Inácio! Era ainda uma criança (teria por volta dos dez anos) quando visitei «o maior e mais verde parque zoológico do norte do país» pela primeira vez. Não guardo muitas recordações desse dia, apenas fragmentos vagos de alguns espaços e animais, mas sei que adorei a experiência. E talvez por isso estivesse ansiosa por repeti-la. Tantos anos depois, surgiu a oportunidade de o fazer e, naturalmente, as expectativas eram elevadas. Enquanto me encaminhava para a saída, já perto da hora do fecho (19h), ia fomentando a certeza de que é um espaço que vale a pena conhecer. Principalmente, ao pormenor.

O Mundo É Delas | Flash Interview

Imagem
A Diana Fonseca, do blogue The Freckled Girl, a quem agradeço desde já, contactou-me para responder à sua mais recente rubrica - «O mundo é delas». Aceitei o convite com o maior gosto e a entrevista saiu ontem. Podem lê-la aqui.

Doce ou salgado q.b. #10

Imagem
«Cozinhar é como tecer um delicado manto de aromas, cores, sabores, texturas. Um manto divino que se deitará sobre o paladar de alguém sempre especial», Sayonara Ciseski

Adoro massa! Este ingrediente faz parte da minha alimentação durante todo o ano, ainda que no verão abuse dele em frio, elaborando as mais variadas saladas. Camarão é outra das coisas que me faz, e desculpem a imagem visual pouco atraente, salivar. Juntá-los tem tudo para dar certo!

Plano de fuga

Imagem
Os teus lábios sorriem, mas o teu olhar é triste - tão carregado de mágoas. Não sei como aguentas o peso das mentiras que contas a ti própria, equilibrando o mundo nos ombros enquanto o teu desaba. Começas a perder a esperança, aquela fé bonita que te mantém de pé, e não sei até quando suportarás essa energia negativa que se apodera da tua vida. Olho para ti e vejo que apenas sobrevives, como se estivesses ligada a uma máquina invisível. Começas a perder tudo. E o pior de tudo é que não falta muito para te perderes por completo, sufocada nas palavras que insistes em guardar. Os teus lábios sorriem, mas já nem tu acreditas nessa ilusão. Solta as amarras. Fecha as janelas. Inventa um plano de fuga qualquer. Mas liberta-te desse abismo, onde estás prestes a cair, antes que seja demasiado tarde!

Quero #13

Imagem
«(...) basta seguir as estrelas»

A Constelação do Dragão existe mesmo. E agora, para além de estar representada no Museu Futebol Clube do Porto by BMG, também figurará na camisola do segundo equipamento, que, para mim, é o mais bonito e elegante dos três. Pela cor. Pelo contraste. Pela diferença.

Pensamento periclitante #28

Imagem
Que mundo é este onde as pessoas são felizes com a dor dos outros e não toleram a sua felicidade?
#devaneio #trocas #faltadevalores #egoísmo #estupidez #desumanização

O que li por aí #44

Imagem
«(...) É tão raro alguém merecer toda a nossa confiança, não é? (...) O nó na garganta estava quase a soltar-se. Se conseguisse chorar, o nó soltar-se-ia e ela sentir-se-ia mais leve (...) Porque, às vezes, é preciso chorar para depois respirar melhor e voltar a sorrir. E as lágrimas choradas na companhia de um amigo têm o poder misterioso de lavar o nosso coração e de o deixar mais leve», Maria Gonzalez

O (meu) Dialeto

Imagem
«(...) Desculpa-me mesmo se nunca tento ser tão perfeito. Às vezes sou mais que aquilo que pedes, mas não tenhas medo, és tudo o que eu quero. É o meu dialeto»

A essência não se altera. Mantém-se igual a si próprio, de um talento inesgotável e sempre em crescendo. É muito simples reconhecê-lo, pelos traços que lhe são característicos e, principalmente, pela verdade com que as suas palavras nos chegam. No entanto, esta versão Diogo Piçarra 2.0, se assim me permitem definir, é mais arrojada. E este Dialeto é mais uma prova do quanto o percurso que está a traçar tem horizontes amplos. E surpreendentes!

Final: A taça é nossa!

Imagem
«Acreditar é contagiante»

Hoje ainda se escreve Portugal. E havemos de continuar a fazê-lo durante muito mais tempo. Porque a conquista de dia dez ficará para sempre marcada na nossa história!

Final #1

Imagem
Faltam as palavras para descrever esta conquista, mas o orgulho é imenso. O momento foi, de facto, agora. Fizemos história. Somos Campeões da Europa. Obrigada!

Perdições #15

Imagem

Jukebox #19

Imagem
«(...) Barcos e gaivotas do Tejo Vejam o que eu vejo, é o sol que vai brilhar Meu amor de longe está Prestes a chegar

As minhas viagens de metro #43

Imagem
«Amo como ama o amor», Fernando Pessoa

O amor dura para sempre, as histórias de amor é que nem sempre. Por mais que a minha relação não resulte, o amor enquanto sentimento não se extingue. E a prova disso é que o voltaremos a encontrar numa nova fase da nossa vida.

O mundo por olhos tom de castanha #30

Imagem

À boleia do mundo #22 (Parte 2)

Imagem
Capítulo 22 (conclusão) 30.08.2015

Adoro ver casas em pedra!
(Lameira-São Lourenço-Tropeço-S. João)
12h44: Chegamos. E vamos comer na parte exterior. Adoro!

À boleia do mundo #22 (Parte 1)

Imagem
Capítulo 22 Domingo, 30.08.2015

08h15: Mais um dia, mais um passeio quase a começar.
10h05: Aqui vamos nós!

Quero #12

Imagem
Voltar ao Alentejo! Sinto saudades dos passeios intermináveis, das noites na rua em conversas demoradas, das tostas de fiambre já depois da meia noite, do calor impossível de aguentar, da beleza sem igual. Tenho saudades da calma, da paz, da brisa rara, dos campos, das cores, dos mil recantos e encantos, das histórias que ouvi, que vivi e até daquelas que me faltam escrever. Há algo em mim que pertence a este pedaço tão bonito do nosso país. E não sei descrever com justiça a falta que o Alentejo me faz. Só sei afirmar que tenho saudades e que preciso de lá voltar. Com urgência!

Euro 2016

Imagem
«Juntos somos mais fortes», Amor Electro

O nosso hino, que me arrepia por mais vezes que o ouça. O nosso sonho, que continua inquebrável, mesmo quando o caminho parece cheio de obstáculos. A nossa garra, que parece adormecida, mas que eu sei que permanece em cada um. E a nossa esperança inabalável, que nos salva quando o resultado não está a nossa favor. Eu acredito. Acredito sempre. Porque esta equipa é muito mais do que aquilo que, por vezes, demonstra. Porque o símbolo que carregam sobre o peito é bem maior que o nome que têm escrito nas costas. Porque somos um só, independentemente das cores que nos ocupam o coração. Talvez a emoção não fosse a mesma se não tivéssemos que sofrer até ao fim. Não se esqueçam daquilo que defendem e do objetivo pelo qual lutam. Seguimos em frente, continuamos na luta. Obrigada!